sábado, 19 de janeiro de 2013

Seres Conscientes, Novos Rumos


Viver hoje no mundo moderno tem sido uma tarefa cada vez mais difícil de cumprir.

A compressão do tempo-espaço criou a indústria da pressa. Como disse Augusto Cury, esta asfixiou a tranqüilidade; a indústria da informação contraiu a formação de mentes pensantes e a indústria do consumismo sangrou a capacidade de se encantar com a beleza das pequenas coisas.

O convívio é um combate. Indivíduos cada vez mais intolerantes, agressivos, doentes do corpo e da alma... Prazeres e sucesso efêmeros... Felicidade ilusória...

Inverteu-se a ordem natural da vida, o ser humano em qualquer parte do globo experimenta inúmeras dores causadas por tantas ações despreparadas, por isso sentem continuamente o último estágio da dor humana ao enterrar seus próprios filhos.

Infinitos sonhos são soterrados diariamente pela ganância, pela falta de sensibilidade, coragem e auto-estima.

O medo impera e o poder das palavras é usado para o isolamento social. A inveja dá palco a agressões, violência, demonstrações de poder inimagináveis.

São redigidos infindáveis contratos e compromissos jamais cumpridos.

É crescente o número de pessoas que imersas a este novo universo desconhecem a si próprias, fogem e escondem a qualquer custo suas imperfeições, suas fragilidades; se corrompem para não transparecer sua real impotência a certas questões.

Criticar pessoas e seus comportamentos é o centro das conversas e bate-papos triviais, que além de não contribuir em nada, estão longe de mudar algo. O Diálogo desapareceu!

Onde estão as mentes formadoras de opinião que lutavam ativamente? Estão adormecidas, emudecidas... É preciso resgatá-las, formar seres mais conscientes da verdade oculta, de suas próprias inseguranças, angústias e frustrações.

É preciso tentar de novo... Abrir o corpo e a alma à percepção, à sensibilidade, às novas experiências, aos sentimentos.

Anos se passam e a vida se esvai... As opiniões não exigem concordância, as diferenças merecem respeito mútuo, os corações podem e devem se permitir amar mais, sofrer, chorar, se levantar, buscar novos e diferentes caminhos, formas de pensar e retomar a capacidade de RECOMEÇAR.

2 comentários:

  1. postagem linda.. parabéns!!...
    são poucos que pensam assim mas são esses poucos que fazem a diferença e tornam esse mundo apesar de tudo habitável, ainda com alegria, esperança e amor.. PARABENS! Neiry Aline

    ResponderExcluir
  2. Obrigada Neiry Aline!
    Vamos juntos nos trabalhando e buscando por um mundo melhor.
    Abraços

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário.
Muito Obrigada!!!